quinta-feira, 5 de maio de 2016

Sobre o fim - Parte I

O sol já havia se posto há algumas horas, o filme estava no fim e lá fora começava a cair as primeiras gotas da chuva típica daquela época do ano: início de novembro, clima ameno, os shoppings, as ruas e as casas começavam a ficar iluminados pelas luzes de um Natal que não demoraria a chegar.
"Preciso ir", ela disse. Arrumou suas coisas e se apressou para chegar ao carro antes que os poucos pingos se tornassem fortes e intensas gotas. Desceram juntas, como sempre faziam. Mas algo naquele dia não se parecia com os outros. Algo havia mudado. A despedida foi apressada, um abraço e um até logo tão rápidos quanto os pingos que agora caiam menos espaçados. Ela entrou no carro e percebeu que não haviam se beijado. Sentiu um aperto no peito. Mas como de costume, logo afastou qualquer pensamento que pudesse tirar sua paz. Ligou o som do carro e dirigiu pra casa, como sempre fez. Só mais um dia. Só mais um sábado. Só mais um filme visto. Só mais uma noite chuvosa. Só mais uma despedida. Só mais um beijo não dado. Mas naquela noite a estrada de volta pareceu longa demais.