quinta-feira, 7 de janeiro de 2016

Zero

Começar do zero. Começar de novo. Começar. Construir do quase nada, mas sob a base mais sólida que já existiu. Aquela que tudo suporta, que tudo espera, que tudo perdoa. Aquela que só nós conhecemos e sabemos a dimensão. Começar. Começar com pouco. Ou com nada. Mas (re)começar. De um quarto a uma sala. De uma sala a uma cozinha. De uma cozinha a uma família. Construir. Aos poucos. Redesenhar e redescobrir. Colorir o futuro. Colorir com tudo que construirmos. Do zero ao tudo. Do amor ao infinito.

4 comentários:

Anônimo disse...

"Não perca quem você é no borrão das estrelas
Ver é enganar, sonhar é acreditar
Tudo bem não estar bem
Às vezes, é difícil de seguir seu coração
Lágrimas não significam que você está perdendo
Qualquer um se machuca" - Who You are (jessie j)

N. disse...

O anônimo poderia se identificar?

Daniel Fernandes S. Félix disse...

Olha, sensacional é pouco para isso!

N. disse...

Dani sempre gentil! Obrigada!