sexta-feira, 25 de dezembro de 2015

O dia que morri pra você

Eu morri em mim.
Morri mais um pouquinho.
Só mais um pouquinho do que tenho morrido todos os dias.
E você renasceu em cima do meu túmulo.
Me jogou flores que eu não consegui pegar.
Flores sem perfume, pois não consegui sentir.
Estou aqui. Observando tudo de baixo. Tentando me agarrar às raízes das flores que você me deu e que já brotaram por aqui.
Mas parece mesmo que elas não têm perfume.


Um comentário:

Anônimo disse...

"Quem se soltar, da vida vai gostar E a vida vai gostar de volta em dobro E se tropeçar Do chão não vai passar Quem sete vezes cai levanta oito" - Um dia após o outro (Tiago Iorc)