domingo, 6 de setembro de 2009


só hoje eu senti realmente o quanto foi dolorido e constrangedor quando eu tive que disfarçar e mudar de assunto ao me perguntarem: por que você está sozinha no dia do seu aniversário? cadê a sua fiel companhia?
eu não pude responder, porque eu não podia me ouvir responder. eu nem ao menos sabia onde ela estava e muito menos porque não estava comigo (onde ela estaria se as coisas ainda fossem como antes). e eu senti vergonha por estar sozinha, vergonha por sempre estar sozinha quando não tenho a minha “fiel companhia” por perto, que nem é tão fiel assim. talvez eu soubesse onde ela estava e porque não estava comigo. acho que eu só não queria acreditar que fosse possível ela, logo ela, me deixar num dia como aquele. não que fosse incomum, porque já aconteceu antes. outras pessoas importantes pra mim também já me deixaram em dias especiais. mas não ela. ela sempre esteve comigo. ela sempre esteve comigo nos momentos mais importantes da minha vida. mas dessa vez foi diferente e eu só consegui entender hoje.
eu não pude responder o motivo de estar sozinha porque é mais fácil mentir pra si mesmo do que aceitar a realidade. a realidade que vem dando socos no meu rosto há muito tempo e eu tenho ignorado de forma tão estúpida. fico insistindo que as coisas não são como realmente são. que eu ainda tenho um lugar lá, quando só o que eu tenho é a consideração (que eu já nem sei se é tanta assim).
no fim das contas, eu não fiquei sozinha e consegui não me sentir sozinha por algumas horas. consegui não sentir falta e não me lembrar do que eu não queria por algumas horas. porque eu estive com pessoas que se importaram comigo o suficiente pra não deixar meu dia passar em branco e eu fiquei feliz por isso. fiquei feliz por perceber que existem outras pessoas no mundo e que eu não preciso ficar sozinha e que se eu ficar, a culpa é única e exclusivamente minha.
só que hoje, essas horas acabaram e o desejo que eu fiz quando me fizeram enfiar o dedo no meio bolo e fazer um pedido já não faz mais sentido algum.

eu ainda queria que você estivesse do meu lado e pudesse ter compartilhado dos momentos felizes comigo. mas eu sei que isso não é mais possível e não vai mais ser como era antes. e talvez um dia eu consiga parar de ignorar as coisas e entender o que está acontecendo ou o que aconteceu.