sexta-feira, 24 de outubro de 2008

Organização.

De repente tudo parecia estar no lugar. No lugar certo, perfeitamente organizado. Foi a primeira vez que se sentiu assim. E foi incrível. Não havia excessos e também não lhe faltava absolutamente nada. Estava completa. Livre e ao mesmo tempo totalmente aprisionada. Mas não de um jeito ruim. A prisão pode ser um abrigo extremamente reconfortante, e o seu maior desejo era permanecer naquele abrigo pelo resto de sua vida.
Ah... Se soubesse que seria assim, não teria perdido tanto tempo ocupada com a bagunça. Tão bonito. Tão certo. Tão inevitável a sua completa entrega à perfeição. Talvez ela tenha sido encantada. Tipo a Branca de Neve. Só que sem maçã, sem bruxa, sem um príncipe que a despertasse. E que bom que não há príncipe, porque ser levada desta insana arrumação é a ultima coisa que ela poderia querer.
Quando as coisas estão em seus devidos lugares, tudo se torna tão mais fácil. Foi fácil se reapaixonar pela, talvez, qüinquagésima vez.

4 comentários:

David Parker disse...

Uaaaau, que introspecção filosófica à la Miss Lispector, não?
Muuuuuito bom! To tentando abstrair a semântica carregada nas linhas e entrelinhas até agora. Parabéns
=D

David Parker disse...

queria um post novo
><

Samara disse...

EU VOLTEI! voltei ao meu bloger!

e pel ovisto vc continua firme e viva n oseu
parabéns

bjs

Anônimo disse...

Eu amo muito você minha linda!!

Mais do que qualquer um poderá, um dia, te amar!!