quarta-feira, 9 de julho de 2008

Aaii, o beijo!

- Por que você não me esquece?!
- Você sabe porque...
- Não, eu não sei!
- Não faz isso. Eu não queria que fosse assim, eu não queria me sentir...
- Você não queria? Há! Faça-me o favor. Você me enganou...
- Não! Eu nunca te enganei, eu só nunca te disse nada porque eu sabia o que você ia dizer, sabia que você não ia mais querer me ver, que você ia querer se afastar, eu sabia!
- Você acha que sabe tudo, não é? Você acha que me conhece, que conhece cada pensamento meu, cada vontade... Mas não, você não me conhece e você não tinha nenhum direito de fazer isso comigo, e se agora eu não quero mais te ver, não é por eu ter descoberto a verdade, mas por eu ter descoberto que você é covarde e não sabe absolutamente nada sobre mim!
- Eu sei que fui deprimente e covarde. Tive medo. Mas se fiz o que fiz, se nunca te disse a verdade, se nunca te disse o que eu realmente sentia, foi pra não te perder. Eu te amo e agora você sabe disso. Eu não ia agüentar o seu olhar de desprezo. Eu simplesmente não podia, eu não podia...
- Desprezo? Você realmente não sabe nada ou então não quer saber! Será que você não percebe que...
- Não Li, não chora, vai... Por favor...
- Você não entende...
*silêncio*
- Por que você fez isso comigo? Por quê?
- Eu tive que fingir que não queria mais sua amizade pra me manter longe, pra tentar te esquecer... Eu sei que eu devia ter falado tudo pra você desde o início, desde quando eu...
- Eu me apaixonei por você! E eu tive vergonha disso. Achei que fosse loucura. Não sabia mais como agir perto de você, não sabia se você sentia o mesmo, eu tinha quase certeza que não... Mas agora, depois de todo esse tempo que eu sofri em silêncio, que eu tentei esquecer, que eu me culpei, eu descubro que você mentiu pra mim. Você me enganou! E eu não vou te perdoar por isso!
- O que você tá me dizendo? Você... Você se apaixonou por mim?
- Agora não importa mais! Eu não quero mais te ver, não quero mais ser sua amiga, não quero mais nada que venha de você! E você sabe que nós não poderíamos... Não está certo! É loucura! Não está certo, não está... eu tenho que tirar essa idéia da cabeça e você também!
- Li... olha pra mim...
Ela ergue os olhos marejados e é surpreendida por um beijo. Um beijo delicado, leve, intenso. Foi uma sensação nova. Única. Sentiu, por um momento, seu corpo flutuar. Sentiu que, desta vez, não poderia mais fugir. A loucura já fazia parte dela!

Um comentário:

Pantoja disse...

Noss.. muito bom nany... dizem que as pessoas escrevem o que vivem.. humm

desconfiei agora kkk

bjs