quarta-feira, 7 de maio de 2008

Prisão...Doce prisão.


Necessidade de tocar, sentir... É só comigo? Às vezes não dá pra entender o que acontece ou o que mudou. E eu me sinto assim, tão diferente do assim que me sentia antes... Não tenho mais o controle da situação e nem sei se cheguei a ter um dia. Não consigo mais fingir que não sinto quando na verdade essa é a única razão por eu estar sorrindo. Estou sentindo o que eu jamais me permitir sentir. Fui dominada e não pude evitar. Na verdade, eu não quis evitar. Que culpa eu tenho? Não posso voltar no tempo e ''consertar'' tudo. Não posso porque provavelmente seria uma viagem em vão. Se eu tivesse essa chance, não mudaria um ponto, uma vírgula. Deixaria tudo acontecer de novo, exatamente igual. Não há mais o que ser feito ou dito. É isso. Fui pega e não tenho saída. Não quero encontrar a saída. Quero passar o resto da vida aqui. Bem aqui, na minha linda e aconchegante prisão.

Há momentos em que acreditamos que somos inatingíveis. Ou pelo menos um pouco... É uma pena que momentos assim durem quase nada.

segunda-feira, 5 de maio de 2008

Sinal de fumaça!


Mil anos depois eu resolvi dar uma passadinha e informar que ainda há vida dentro deste corpo de pequena grande estatura!
Desculpem a ausência, mas é que eu estava/estou meio atordoada esses últimos dias... Milhões de coisas pra fazer e eu sem saber ao menos por onde começar... Acho que agora a vida começou de verdade, pelo menos pra mim. Não gostei muito sabe?! Nunca gostei de mudanças, mas está sendo até interessante (uma parte só é interessante, porque a outra é completamente maravilhosa e talvez não seja assunto pra esse post.). Então, todo esse tempo 'fora' e eu ainda não consegui pensar em nada legal pra postar aqui.. Nada de novidades, pelo menos nenhuma que valia a pena ser contada aqui.
Ah, essa última sexta eu encontrei algumas amigas que a tempos não via... Não tanto tempo assim, mas o suficiente pra sentir falta até de comentários aleatórios e sem sentido! Não deu pra esmagar a maldita saudade ainda. Aliás, creio que nunca conseguirei tal ato glorioso... É, porque nunca mais passaremos tempo suficiente juntas pra isso. Eu sei que ''nunca mais'' é demais, mas é verdade. Demoramos praticamente 5 meses pra reunir todo grupo de novo, e olha que mal começamos a 'viver'... Imaginem daqui a uns 2 ou 3 anos? Vai ser quase impossível essas saídas acontecerem e se acontecerem, não serão tão divertidas e empolgantes como são agora. De qualquer forma, prefiro alimentar meu minúsculo lado otimista e acreditar que isso é mais uma bobagem da minha cabeça. Ou não.

Bom, sem mais novidades até agora. A não ser o fato de que uma amiga casa-se em breve, provavelmente... E o de que eu me casarei em um futuro completamente distante e talvez inexistente. Quer dizer, não no modo convencional da coisa, se é que alguém me entende (sim, eu sei que alguém me entende!). Não gosto de mudanças, mas aprendi a gostar do incomum, que talvez nem seja tão incomum assim. Depende de quem vai ler isso aqui.